fbpx

Se você pratica Jiu Jitsu há um tempo e tem o costume de visitar diferentes academia, já deve ter visto o retrato a baixo pendurado na parede algumas vezes na vida, correto? Este senhor, de aparência serena, é considerado nada menos que o pai do Brazilian Jiu Jitsu. Isso porque, durante quase 80 anos de sua vida, Carlos Gracie dediciou-se ao crescimento e difusão do Jiu Jitsu.

Carlos Gracie

Em 14 de setembro de 1904, é plantada a semente da arte suave no norte do país, mais precisamente em Belém do Pará. Filho de Cesalina e Gastão Gracie, nasceu o homem que não só daria origem ao Brazilian Jiu Jitsu, mas defenderia – com punhos cerrados – a difusão dessa arte e do estilo de vida adotado pela maioria dos seus praticantes nos dias de hoje.


A juventude rebelde de Carlos Gracie

Carlos Gracie era um dos mais velhos e o mais enérgicos dos irmãos. Sua hiperatividade era tão grande que, quase que diariamente, recebia puxões de orelhas, surras de cinta e de mão aberta por parte de seu pai. Carlos recebia seus castigos em silêncio em casa e o diálogo entre pai e filho foi rareando cada vez mais.

No entanto, fora do lar, não aceitava a menor imposição de qualquer que fosse a “autoridade”. Seu forte espírito, munido de pedras no bolso, enfrentava os garotos na rua que zombavam da sua aparência franzina.

O contato com Mitsuyo Maeda

O grande criador e difusor do Judô, Jigoro Kano, treinou diversos homens para disseminar sua arte pelo mundo. Um dos seus mais competentes alunos, Mistsuyu Maeda – que mais tarde ficou conhecido como Conde Koma – foi mandado ao exterior  como parte do seu projeto de popularizar o Judô.

Mitsuyo Maeda Jiu Jitsu
Mitsuyo Maeda estava no Brasil participando de desafios e demonstrações do Jiu Jitsu Tradicional

 

Carlos Gracie conheceu mestre Mitsuyu Maeda em sua cidade natal, Belém do Pará. Seu pai, certa vez, tentou sustentar a família organizando um circo, o que era comum na época. Em um dos seus espetáculos, Mitsuyu Maeda apresentou-se, executando movimentos do Judô e Jiu Jitsu Tradicional, algo inédito na época. Foi então que Gastão Gracie teve a ideia de aproximar seus filhos da arte marcial, como mais uma tentativa de disciplinar seu filho rebelde.

Devido a seu temperamento instável, os pais de Carlos o estimularam à prática da arte marcial como forma de inquietar sua mente. Foi então com Conde Koma que Carlos teve o primeiro contato com a arte que mudaria sua vida para sempre.

O garoto jamais havia sentido tal nível de auto-confiança, que encontrou com a prática do Jiu Jitsu. No Entanto, seu tempo perto de Maeda foi curto. Após 5 anos de treinamento, teve que mudar-se para o Rio de Janeiro com sua família.

O nascimento do “Clã dos Gracies”

Seus primeiros anos na então capital foram difíceis. Devido a instabilidade financeira da família, Carlos Gracie acabou trabalhando em instituições do governo e dedicando-se um pouco menos no treinamento com o Jiu Jitsu. O único contato que o jovem manteve com a arte suave foram os treinos em casa, junto com os membros da família.

Porém, seu espírito inquieto não o deixava em paz. O impacto que o Jiu Jitsu fez na sua vida foi tão grande que Carlos Gracie sentia-se obrigado reaproximar-se da arte suave. Acreditando no potencial transformador que o Jiu Jitsu teria sobre as pessoas comuns, o jovem Carlos buscou dar um novo sentido a sua vida. Gracie via na arte suave não apenas uma forma eficiente de combate, mas um meio de transformação pessoal.

Visionário que era, Carlos Gracie percebeu uma oportunidade de ganhar a vida ensinando aquilo que mais gostava. Foi daí então que, em 1925, fundou a primeira escola de Gracie Jiu Jitsu, na cidade do Rio de Janeiro. Dentre os seus alunos mais famosos estava seu irmão Hélio Gracie, figura também recorrente nas paredes das academias de Jiu jitsu ao redor do mundo.

O vídeo abaixo apresenta algumas imagens de Carlos Gracie e sua família demonstrando o Gracie Jiu Jitsu. Datado dos anos 50, esse trabalho foi produzido como uma forma de promover a arte marcial.

Se você quiser conhecer um pouco mais sobre a história da Família Gracie, dê uma olhada nesse post sobre a sua história com o Jiu Jitsu.

Os desafios de Carlos Gracie

Assim como seu irmão Hélio, Carlos Gracie também participou dos antigos desafios entre artes marciais. Essa prática era comum na época como forma de provar qual a arte marcial era mais eficiente (e consequentemente conseguir mais alunos).

E foi na década de 50 que esses desafios tomaram força, chegando aos jornais da época e até a TV. Era o início do vale-tudo, onde as regras eram muito mais limitadas do que são hoje. Lutas sem luvas, limite de tempo e de rounds lotavam ginásios, estádios (como o Maracanã e Pacaembu) e enchiam a audiência das emissoras de TV.

Dentre as lutas mais famosas de Carlos Gracie está o seu desafio contra o “representante do Jiu Jitsu Japonês”,

A dieta Gracie e o segredo da longevidade

Além da sua notável contribuição para o Jiu Jitsu, Carlos Gracie desenvolveu uma dieta muito peculiar.

A base da sua teoria estava na interação entre o pH da comida com o próprio do sangue. Segundo ele, uma má alimentação gerava uma acidez excessiva na corrente sanguínea, deixando o corpo mais suscetível a doenças. Em 1983 ele explicou para a revista Manchete um pouco como chegou a suas conclusões:

“O funcionamento normal do nosso organismo está diretamente relacionado com seu equilíbrio ácido-alcalino. O excesso de acidez começa no estomago e passa para o sangue através dos intestinos. O ser humano é uma máquina tão perfeita que possui por si mesma os ácidos necessários para metabolizar os alimentos. Não há necessidade de ingerirmos ácidos a mais. Comer errado é o pior dos venenos, pois quando a dosagem ácida é aumentada pela comida, o organismo se vê obrigado a neutralizá-la constantemente. Com o tempo essa neutralização se torna cada vez mais difícil e então dando origem à maioria das nossas doenças” – Carlos Gracie

Dieta Gracie
O livro, escrito pelo filho mais velho de Hélio, conta em detalhes como se desenvolver a dieta dos campeões

Foi como sequência desse trabalho, que se iniciou no livro Filosofia e Prática do Naturismo  que Carlos Gracie fundamentou a tão famosa Dieta Gracie.

A Dieta Gracie trata de elencar quais alimentos são permitidos e quais são “venenosos” ao seu organismo. Além disso, ela estabelece uma combinação adequada entre os alimentos, que vão permitir manter o pH da refeição o mais neutro possível. Dessa forma, possibilita manter o pH do sangue em seus níveis ideais.

Clique aqui e saiba muito mais sobre a Dieta Gracie. 

As mulher de Carlos Gracie

Um lado um pouco menos conhecido da história de Carlos Gracie é o das suas relações amorosas. Ao longo de toda sua vida, teve 7 mulheres e um total de 21 filhos!

A vida amorosa de Carlos começou complicado, já que sua primeira namorada teve um fim trágico. Illona, como era chamada, acabou se jogando pela janela devido à sua doença. Ela havia contraído a febre tifóide e sofria delírios sério, que levaram a esse acidente.

Na sequência, Carlos Gracie ainda teve algumas outras mulheres, como Carmen. Assim como quando estava com Illona, ele passou por momentos difíceis. Em dada ocasião, Carmen foi internada em um sanatório devido a sua forte tuberculose. Carlos, porém, não evitava o contato com sua mulher. Mesmo em seu estado altamente contagioso, ele ainda dormia junto e a beijava, confiando em sua imunidade. E assim foi até os últimos dias de vida de sua mulher.

Carlos Gracie Hélio Gracie Família Gracie
Pra quem duvida da eficiência da Dieta Gracie, Carlos e Hélio somaram um total de 30 filhos juntos!

Uma história de dedicação à Arte Suave

Carlos deixou, após sua morte em 1994, um vasto legado para a comunidade do Jiu Jitsu. Além das academias Gracie espalhadas pelo mundo e a famosa Dieta Gracie, Carlos escreveu livros e deu palestras ao redor do mundo. E foi em um desses livros que Carlos listou os hábitos que fizeram dele o ícone que é hoje. Confira agora as 12 Mandamentos de Carlos Gracie:

Os 12 Mandamentos de Carlos Gracie

1 – Ser tão forte que nada possa pertubar a paz da tua mente.

2 – Falar a todos da felicidade, saúde e prosperidade.

3 – Dar a todos os teus amigos a sensação de que têm valor.

4 – Olhar as coisas pelo seu lado luminoso e atualizar teu otimismo em realidade.

5 – Pensar somente no melhor, trabalhar unicamente pelo melhor e esperar sempre o melhor.

6 – Ser tão justo e tão entusiasta com respeito ao êxito dos outros como és com o teu próprio.

7 – Esquecer os erros do passado e concentrar tuas energias nas conquistas do futuro.

8 – Manter sempre o semelhante alegre e ter um sorriso para todos os que a ti se dirijam.

9 – Empregar o maior tempo no aperfeiçoamento de ti mesmo, e nenhum tempo em criticar os outros.

10 – Ser grande demais para sentir desassossego, nobre demais para sentir cólera, forte demais para sentir terror e feliz demais para sentir contrariedades.

11 – Ter boa opinião sobre ti mesmo e proclamá-la perante o mundo, mas não com palavras altissonantes e sim com boas obras.

12 – Ter a firme convicção de que o mundo estará ao teu lado, enquanto te mantiveres fiel ao que há de melhor em ti.

Conheça também as 21 frases de Hélio Gracie.


Certamente o grande mestre Carlos Gracie tem muito a nos ensinar! E você, leitor: o que você achou dos seus mandamentos? Deixe sua opinião nos comentários! 

Se gostou, deixe seu comentário abaixo! Também não se esqueça de visitar o BJJ Nerd no Facebook, Instagram e Youtube.

 

Carlos Gracie: Os 12 Mandamentos do Criador do Jiu Jitsu

Deixe uma resposta