fbpx

Uma das melhores formas de aprender Jiu Jitsu é treinando em locais diferentes e com pessoas que você não está acostumado.

Ao fazer isso, você se permite conhecer novas técnicas, conceitos e formas de treinar que você não aprenderia sem sair da sua zona de conforto.

Portanto, todo jiujiteiro que ama a arte tem sempre um kimono na mala quando viaja, seja durante suas férias ou mesmo à trabalho, quando possível.

Aqui separamos algumas dicas para você planejar sua próxima viagem de Jiu Jitsu e otimizar ao máximo o seu tempo.

1 – Lave seu kimono diariamente

Se você pretende treinar todos os dias durante sua viagem, é indispensável que lave seus kimonos a cada uso.

Isso porque nada é mais desagradável do que um visitante treinando com kimono sujo.

Portanto, ao planejar sua viagem, pense na logística de lavagem e secagem de kimonos e tenha resposta para as seguintes perguntas:

Há alguma lavanderia onde você vai dormir?“, “Existem lavanderias por perto?“, “Terei acesso a máquina secadora ou espaço para estender meus kimonos?“.

2 – Pergunte antes de viajar

Por mais que a grande maioria das equipes no mundo sejam abertas à visitantes, é sempre importante que você fale com o professor ou responsável com antecedência.

Esse primeiro contato também permite que você conheça algumas regras do tatame, além dos preços e horários mais indicados para você.

Em algumas academias, por exemplo, apenas kimonos brancos são permitidos.

E chegar vestindo aquele seu kimono azul não causaria uma bela impressão, não é mesmo?

3 – Seja educado e respeite as regras do tatame

Respeito nunca é demais e você nunca será mal visto por seu educado em excesso.

Sempre que visitar uma academia nova, siga todas as regras do tatame que você conhece, como por exemplo:

  • Chegar no treino com antecedência;
  • Pedir licença ao entrar e sair do tatame;
  • Cumprimentar o professor e os alunos por ordem de graduação;
  • Não convidar ninguém para rolar, a menos que o professor recomende;
  • Mantenha seu kimono limpo e higiene em dia;
  • Não caminhe descalço fora do tatame.

4 – Pague as taxas necessárias

Tenha sempre em mente que o Jiu Jitsu é também o ganha-pão de alguém.

Portanto, pergunte se existem taxas a serem pagas para treinar durante esse período.

Você não estará fazendo uma “aula experimental” a não ser que você pretenda se matricular na academia posteriormente.

5 – Evite ao máximo se machucar.

Você não pretende estragar sua viagem com uma lesão séria. Por isso, se manter saudável é sua prioridade número um.

Por mais amigável que seja o clima da academia, alguns alunos tentearão “conferir” você.

Nesses casos, deixe o orgulho de lado. Bata quantas vezes por necessário e descanse caso sinta alguma dor ou desconforto anormal.

6 – Conheça o Matsurfing

A comunidade internacional BJJ Globetrotters possui um sistema muito interessante para viajantes do Jiu Jitsu chamado Matsurfing.

Nele você é capaz de entrar em contato com mais de 200 anfitriões em todos continentes do Mundo, que disponibilizam seus espaços gratuitamente para aqueles que pretendem passar alguns dias treinando.

Essa é uma ótima opção, especialmente se você viaja sozinho, ou em até 2 pessoas.

Além de diminuir seus gastos com hospedagem, um anfitrião do Jiu Jitsu permite que você se sinta mais a vontade em um ambiente diferente.

7 – Não abuse nas perguntas

Nada é mais inconveniente que um visitante que aluga o professor ou outros atletas para um “seminário gratuito”.

Não há nada de errado em fazer perguntas simples e pontuais.

Porém, por mais que você queira aproveitar o máximo daquele treino, tenha bom senso e moderação.

Não seja o cara que atrapalha o treino com perguntas excessivas, especialmente durante os rolas.

8 – Saiba controlar a intensidade

Nem toda equipe ou aluno está ali para disputar uma final de mundial com você.

Portanto, não abuse de seu peso e sua força, especialmente se você estiver treinando com alunos mais leves ou menos graduados.

Evite movimentos bruscos, como pular na guarda fechada, pois você pode machucar o seu desconhecido parceiro de treino.

Também utilize apenas as técnicas permitidas por regra, de acordo com a graduação do seu parceiro de treino e da sua.

9 – Economize espaço na sua mala

Em boa parte dos casos, 2 ou 3 kimonos serão suficientes para treinar todos os dias. Exceder esse número significa carregar peso desnecessário.

Além disso, você pode levar menos roupas do que de costume, já que irá lavar seus kimonos diariamente.

10 – Aproveite também fora do tatame

Nem só de Jiu Jitsu vive um homem. Por isso, não resuma sua viagem a treino e/ou competição.

Independente se você está a turismo ou mesmo para lutar o Mundial de Jiu Jitsu, aproveite para conhecer os pontos turísticos do local visitado.

Você não treinará 24h por dia. Portanto, otimize seu tempo e aproveite sua viagem da melhor forma!

BJJ Nerd e viagens

Nós da BJJ Nerd também somos “mochileiros do Jiu Jitsu”.

No ano passado, viajamos para mais de 10 diferentes cidades para conhecer as 25 maiores equipes do mundo do Jiu Jitsu.

Como resultado disso, criamos a série “O Caminho para o Sucesso“, que você confere clicando neste link.

E você, que outras dicas você daria para um viajante do Jiu Jitsu? Responda nos comentários contribuindo com a discussão! Também não se esqueça de visitar o BJJ Nerd no Facebook, Instagram e Youtube.

Guia de Viagem do Jiu Jitsu: 8 Dicas para sua Próxima Viagem

Deixe uma resposta