fbpx

Ao longo de anos de tatame vimos centenas de pessoas começando e desistindo de treinar Jiu Jitsu.

O fato é que, mesmo com o avanço na qualidade das aulas e estrutura das academias nos últimos anos, as taxas de abandono continuam altas.

Nem todo mundo realmente gostará do Jiu Jitsu e nenhuma arte marcial ou esporte agradará a todos. No entanto, muitos desistem por motivos desnecessários, sem perceber o tanto de benefícios que o Jiu Jitsu pode trazer a sua vida.

Nesse post iremos discutir alguns dos motivos que motivam os praticantes a desistirem do Jiu Jitsu.

O iniciante ansioso

Ser um iniciante em qualquer área não é trivial e no Jiu Jitsu não é diferente.

O fato é que entender as técnicas do Jiu Jitsu toma tempo, e conseguir dominá-las demora mais ainda!

Vamos supor um aluno fictício chamado “Joãozinho” que está em seus primeiros dias de Jiu Jitsu, aprendendo um Arm Lock da Fechada.

Joãozinho, em nosso exemplo, experimentará duas grandes possibilidades de frustração:

A primeira quando não conseguir repetir o passo-a-passo da técnica. E a segunda quando não conseguir finalizar ninguém durante o rola/específico com ela!

Nesses casos, o aluno que espera resultados mais instantâneos se sente insatisfeito e passa a pensar que o Jiu Jitsu não é para ele.

No entanto, todos praticantes de Jiu Jitsu passam por esse momento, de alguma forma.

E a melhor forma de encarar esses problemas é aceitando que cada um possui seu tempo de aprendizado.

A maldição da Faixa Azul

“Notícia: Faixa Azul Desaparece. Aluno de Jiu Jitsu não é visto desde sua graduação” – Fonte: JiuJitsuTimes

Enfrentam os primeiros meses/anos e receber a faixa azul não é nada fácil. Mas continuar na caminhada e sair dela é mais difícil ainda.

E é por esse motivo que circulam muitos apelidos para aquele praticante que “some” do Jiu Jitsu depois que recebe sua primeira graduação.

“A maldição da Faixa Azul”, “Blue Belt Course” ou “Blue Belt Blues” são algumas das expressões que relembram aos praticantes o quão difícil é continuar treinando durante essa graduação.

Quando você é iniciante é muito mais fácil para o ego aceitar “tomar um atraso” durante o treino.

No entanto, muitos alunos que recebem a faixa azul se vêem na obrigação de “defender suas faixas” a todo custo.

Joãozinho foi um dele, e agora passa a temer ser finalizado por alunos menos graduados, acreditando que isso significaria que o mesmo não merecesse tal graduação.

O que Joãozinho não percebe é que cada praticante tem seu tempo de evolução e até o faixa preta está sujeito a ser “amassado” por menos graduados, caso esteja treinando.

Essa cobrança excessiva vai tornando a prática do Jiu Jitsu – que antes era prazerosa para ele – em algo obrigatório e pesado.

Pouco a pouco o “faixa azul amaldiçoado” vai se deixando abalar com essa posição, se tornando propenso a desistir do Jiu Jitsu no aparecimento de qualquer desculpa.

Período entre graduações

Outro problema que reforça a ideia da “Maldição do Faixa Azul” é a demora entre as graduações.

A CBJJ não estipula, em suas regras de graduação, um tempo mínimo para permanência, podendo o aluno ser graduado em meses caso se dedique o suficiente.

Já na faixa azul o aluno encontra o maior tempo mínimo de permanência, num total de 2 anos.

Na cabeça do recém graduado a faixa roxa parece tão longe e ele nem se imagina um dia recebendo sua faixa preta e isso, novamente, gera grandes possibilidades de frustração.

A transição entre a Faixa Azul e a Faixa Roxa possui, dentre todas, o maior tempo mínimo, conforme a imagem.

Surgimento das lesões

Agora imagine esse faixa azul que criou tantos problemas em sua cabeça sofrendo uma lesão durante os treinos.

Enquanto algumas lesões mais sérias podem afastar alguém dos tatames por longos meses – ou até para sempre -, a grande maioria delas se resolvem com alguns dias de repouso e gelo.

No entanto, mesmo uma pequena lesão pode levar Joãozinho ao abandono. Além do peso que ele criou em sua cabeça, o medo de se lesionar novamente ou piorar se torna uma grande oportunidade para abandonar os treinos de uma vez.

Outros motivos para abandonar o Jiu Jitsu

Além das razões citadas anteriormente, podemos citar:

  • Falta de dinheiro;
  • Falta de tempo;
  • Distância entre casa e academia;
  • Falta de motivação e muito mais.

A verdade sobre parar de treinar Jiu Jitsu

Não podemos negar que começar a treinar Jiu Jitsu é difícil e continuar treinando é mais ainda!

Não faltaram motivos para um praticante da arte suave, em algum momento, pensar em abondonar os treinos.

O fato é que a única forma de manter-se treinando independente dos motivos para parar é gostando de estar ali, com os amigos no tatame.

Quem vive o Jiu Jitsu como um estilo de vida e reconhece os benefícios que a prática trás para sua vida não precisa vencer campeonatos nem receber faixas para continuar treinando.

Por isso, em 2019 e para o resto de sua vida, faça parte da minoria: NÃO desista do Jiu Jitsu!

Enviaremos o seu acesso por e-mail. Você terá os primeiros 7 dias grátis! Não precisa de cartão de crédito.

E aí, o que achou do post? Que motivos você acredita levarem tantas pessoas a desistirem do Jiu Jitsu? Responda nos comentários contribuindo com a discussão! Também não se esqueça de visitar o BJJ Nerd no Facebook, Instagram e Youtube.

Por que as pessoas desistem do Jiu Jitsu?

Deixe uma resposta