fbpx

Quem nunca ouviu a seguinte frase: “Mas se é tão ruim, por que você ainda treina Jiu Jitsu?”. Depois de um dia cansativo no trabalho, com certeza é muito mais fácil assistir uma série no Netflix e ficar descansando, certo? Para nós não. Chegar em casa, pegar o kimono e ir para o tatame, é o que nos motiva todos os dias. Mesmo com todas as dificuldades, voltamos para aprender, saindo do treino sempre um pouco melhores do que entramos.

Isto é Jiu Jitsu! É essa inquietante busca pela evolução. O sucesso, seja ele dentro ou fora do tatame, só será atingido com muito esforço. Cada dia que levamos nossa vida com esse ideal, estamos um passo mais perto de nossos sonhos. E, assim como em tudo, a sua vontade e dedicação são os ingredientes que farão com que estes sonhos se tornem realidade.

Os motivos pelos quais ainda pratico este esporte que tanto amo são muitos. Hoje vou falar sobre o que me faz levantar todos os dias e voltar a treinar. Independente do resultado, todos temos dias bons e ruins, porém é a persistência que nos levará a atingir o impossível.

Busca pela perfeição

Dentre as principais razões pelas quais treino Jiu Jitsu, acredito que o perfeccionismo é uma das coisas que mais gosto no esporte. Ao ver uma técnica que queremos executar, seja por meio de uma vídeo aula ou um post no Instagram, começamos a entender a sua movimentação para aplicar nos treinos.

Muitas vezes, até entender como adaptar aquela posição para o nosso corpo, batemos cabeça e chegamos a pensar que a técnica simplesmente não está certa. Porém não é bem essa a história. Ao praticar mais algumas vezes, vemos que a raspagem está mais fácil de fazer ou a passagem está encaixando.

Esse estudo da técnica, para aplicá-la no “rola”, nos levará além da faixa preta. A busca pela perfeição, porém com a consciência de que ela é apenas um ideal, é o que inspira o praticante de Jiu Jitsu a voltar todos os dias. Com muita vontade e persistência, miramos este sonho, sabendo que nunca vamos alcançá-lo. A perfeição deve servir como um norte, mas não podemos nos frustrar por não a atingirmos.

Melhore seu gás no Jiu Jitsu evitando esses 5 erros.

Meu corpo

Quando comecei a treinar Jiu Jitsu tinha 97kg. Ao atingir aquele peso, decidi que nos 100kg eu não chegaria. Como já malhava e na minha academia tinha Jiu Jitsu fui fazer algumas aulas. Aquilo que começou como uma busca por um corpo mais bonito, deu vez a uma preocupação por um corpo mais saudável.

Bastante diferente da minha motivação de ir puxar ferro, a arte suave me chamou a atenção logo nas primeiras aulas. Comecei a me alimentar melhor, para ter assim um bom desempenho nos treinos. Diminuí também a quantidade de vezes que saia e consumia bebidas alcoólicas. Tudo isso para “apanhar menos no treino”. Porém, com o tempo fui me acostumando com o Jiu Jitsu lifestyle, e esse estilo de vida é o que me motiva a sair da cama todos os dias. Entrei no Jiu Jitsu para melhorar minha forma física, porém quando me dei conta esse esporte mudou minha saúde.

Minha mente

Elenco como um dos principais benefícios do treino de Jiu Jitsu a parte psicológica. Com o decorrer de minha caminhada na arte suave, fui ganhando confiança para enfrentar os desafios da vida. Esse esporte me deu uma força que nunca imaginaria ter. Isso não significa que não tenho medo de nada. Apenas comecei a ver os problemas com outros olhos, batendo de frente e acreditando que posso superá-los (afinal, ter alguém tentando te estrangular todos os dias faz reavaliarmos o que é dificuldade).

No segundo episódio da Série Michael Langhi, o faixa preta multicampeão mundial traz alguns dos benefícios que o Jiu Jitsu trouxe para sua vida. Dentre eles, a persistência nas adversidades e a resolução de problemas estão no topo da sua lista. No tatame não tem para onde correr. Ou você senta e chora ou você tenta melhorar. E é nesse momento, no auge do cansaço, que você deve tomar a decisão que fará a diferença no seu futuro, seja ele na academia ou na vida.

Minha família

por que eu ainda treino jiu jitsu

Essa é a minha família. Não a que eu vim, mas a que eu escolhi. Participar dessa comunidade do Jiu Jitsu é uma grande honra. Moro longe da minha cidade natal, por isso acabo tendo um contato maior com meus parceiros de treino do que com meus pais. Saber que tenho esses irmãos, que me batem pensando na minha evolução, me da força para continuar e seguir em frente.

Seja para treinar ou não, chegar na academia depois de um dia estressante e começar a “resenha” ajuda qualquer um. Essa válvula de escape que o Jiu Jitsu se tornou nos deixa mais leve, prontos para enfrentar o amanhã. E isso não seria possível sem meus irmãos. Tenho imensa gratidão por cada praticante da arte suave, pois juntos iremos mais longe!

Por mim

Com certeza faço esse esporte por mim. Jiu Jitsu salva. Quem nunca ouviu este jargão? Por experiência própria posso falar que é verdade. A arte suave mudou a minha vida e sou eternamente grato por aquele amigo que me levou para a primeira aula. Este foi o primeiro passo de uma longa jornada.

Troquei os bares da faculdade pelo tatame da academia. As festas do final de semana por mais um kimono para treinar. E o Netflix pelo Flograppling. Agora, se você me perguntar, não me arrependo por um segundo. O Jiu Jitsu me ajudou a encontrar meu caminho, e sim, hoje eu faço isso por mim!

Curtiu esse post? Se o Jiu Jitsu te salvou não esquece de compartilhar. E você, por que faz Jiu Jitsu? Escreva nos comentários!

Se gostou, deixe seu comentário abaixo! Também não se esqueça de visitar o BJJ Nerd no Facebook, Instagram e Youtube.

Por que eu ainda treino Jiu Jitsu?

2 ideias sobre “Por que eu ainda treino Jiu Jitsu?

  • 2017-05-25 em 13:26
    Permalink

    Sou grato ao Jiu Jitsu, por propiciar mudanças tão significativas na vida do meu filho. Sua tranaformação para melhor é evidente e nos faz país mais felizes também. Indico para todo homem e mulher.

  • 2017-05-25 em 13:15
    Permalink

    Excelente texto. Acredito que muitos de nós amantes dessa arte nos indentificamos com esse relato,descreve bem sobre parte do que é o Jiu-Jítsu e ajuda aquele(a) que ainda não teve a oportunidade de vivenciar esse esporte a entender brevemente esse vício, porque pra entender na íntegra só se matriculando numa academia e “dando o start”.

Deixe uma resposta